Minha lista de blogs

Pesquisar este blog

Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

Meus braçais

Meus braçais
Lugares por onde eu passei

7 de set de 2012

11 DE SETEMBRO DE 2001: A FARSA


WORLD TRADE CENTER
 O fatídico 11 de setembro e Bin Laden ? "e quem disse que foi Bin Laden?" Falou então de "um filho frustrado que quis terminar de todo modo o que o pai havia começado". Bush, claro!! Como sempre, Oráculo foi muito sutil com as palavras. A frase acima não exclui a possibilidade do ataque ter tido um mentor externo (como Bin Laden), mas aponta no mínimo a conivência do Sr. Bush. Confesso que já tinha ouvido essa possibilidade, afinal, os EUA fizeram quase a mesma coisa em Pearl Harbor* pesquise sobre o assunto. Mas ficava horrorizado ante a possibilidade de um presidente deixar matar mais de 3.000 pessoas por interesses escusos, como glória, poder e dinheiro. Mas, pesquisando na Internet, vi dezenas de páginas que mostram que a coisa foi tão encenada que não dá para esconder, então a grande mídia simplesmente ignora, finge que não vê. Como não é notícia nos EUA, não é notícia aqui no fim do mundo em Manaus. Por isso me dei ao trabalho de traduzir boa parte porque está em inglês.
              


                  *Deixaram os piores navios e tripulação no porto, pois sabiam que seriam atacados pelos japoneses mas precisavam de um motivo forte para convencer a opinião pública a entrar na guerra. E não foi só privilégio dos Eua essa manipulação. Todo fã de guerra lembra do incêndio ao Parlamento Alemão ( Reichstag) em 1933, atribuído aos comunistas, que permitiu a Hitler assumir ( legalmente) poderes ditatoriais... como Bush, agora, Joseph Goebbels ( o chefe de propaganda nazista) disse " Tudo o que se tem de fazer é dizer às pessoas que elas estão sendo atacadas, denunciar os pacifistas por falta de patriotismo, e expor o país ao perigo. Funciona em qualquer país. país.
                       Quem tem alguma memória e não se deixa influenciar pelas notícias "oficiais", vai lembrar que o Papa Bento XVI na verdade é Benedito em todo o resto do mundo. O que isso tem a ver com os atentados de 11 de setembro? Nada, é só um aquecimento para lhe lembrar que o Iraque nunca teve NADA a ver com os atentados. Aliás, o Afeganistão também não! Os supostos "terroristas" provinham do Egito e Arábia Saudita, e o Talibã é tão culpado por acobertar Osama Bin Laden quanto a própria família dele, que goza de prestígio nos EUA (especialmente entre os Bush). Bin Laden (estranhamente) em princípio negou a autoria dos atentados, e só em dezembro de 2001 liberou um vídeo onde falou dos ataques, e sumiu da mídia, para reaparecer "coincidentemente" a poucos meses da eleição dos EUA, em um vídeo com ameaças aos Estados Unidos, o que ajudou Bush a se reeleger... Vamos rever a cronologia dos fatos, analisando friamente as "coincidências" que possibilitaram aos EUA assumir o papel de "ditador do mundo" com poderes legais e ilimitados.
11 de setembro, 7h55 a 8h15 AM
Os alegados "terroristas" embarcam em vôos saindo de Portland, Washington e Boston. O terrorista que ficou mais conhecido foi o piloto de um dos aviões, Mohammed Atta (o da foto maior), que embarcou no aeroporto de Portland, de onde foram feitos os vídeos. Aí começam as incongruências (inconveniência; impropriedade; desarmonia.): os vídeos não servem para identificar qualquer pessoa que seja, mas o FBI se apressou em dizer que eram Mohammed Atta e Abdulaziz Alomar. Mas Michael Tuohey, que trabalhava no guichê recebendo os tickets, lembra claramente que falou com dois homens árabes que usavam paletó e gravata, mas as câmeras (que ficavam 100 jardas depois do guichê) registraram os dois homens em trajes esporte! A câmera que faria a identificação definitiva, instalada no guichê, de acordo com o FBI estava quebrada há meses, só que o Sr. Michael Tuohey (que trabalhava logo embaixo da câmera) nunca soube disso até o agente dizer!! Segundo a ex-namorada de Mohammed Atta, ele era hedonista*, cheirava cocaína e freqüentava boates de stripper. Um "disfarce" perfeito para um "religioso fundamentalista islâmico", pronto para se tornar um "instrumento de Allah contra os infiéis", não é? Doutrina que prega o prazer como o bem supremo, finalidade e fundamento de vida moral.
                     Segundo o pai de Atta, ele nunca voou nem uma pipa, e se surpreendeu em saber que o filho havia tido aulas de pilotagem: "Minha filha, que é médica, dava a ele remédios antes de cada viagem, para combater os tremores e vômitos que ele sentia ao entrar em um avião".
                      E não é só isso: apareceram outras "evidências incriminatórias" para o Atta. Um Mitsubishi sedan que Atta teria alugado foi achado no aeroporto de Boston, com lições de vôo em árabe. Bela peça incriminatória, se não fosse o fato de que Atta estava pegando o vôo em Portland para ir a Boston. Por que Atta dirigiria até Boston, deixaria lá um carro contendo evidências incriminatórias de um plano secreto do maior e mais ambicioso atentado da história e voltaria pra Portland um dia antes de pegar um avião de volta pra Boston? E mais: na mala de Atta (que pegou outro vôo para fazer uma conexão em Las Vegas ) foram "encontradas" instruções de como proceder no dia do atentado!!! Imagine a situação: fundamentalistas islâmicos tendo de beber, tomar drogas e viver como capitalistas por anos, para cumprir uma missão suicida altamente secreta, e no dia da execução deixar um papel na MALA (coisa que se revista normalmente na alfândega) com instruções que não serão usadas mais para nada (afinal, ele vai se matar, certo?).
Washington; 9:25 AM
                      Um avião sem identificação aparece na tela do radar de Dallas. Pela manobra que ele executa (um U em alta velocidade) todos pensam se tratar de um caça militar. Às 9:37 ele se choca com o Pentágono. Posteriormente o governo informou que era o vôo 77 (aquele, que sumiu do radar). Nenhum dos seqüestradores que "pilotavam" era bom piloto. Tiveram lições de vôo, mas todos os instrutores disseram que eles eram um fracasso. O pior de todos era Hani Hanjour, que falhou miseravelmente em todos os cursos do qual participou. Em agosto de 2001, ele tentou alugar um Cessna, mas num teste o instrutor viu que ele não conseguia pousar ou sequer controlar um aviãozinho de hélice. Pois foi esse "piloto" que o FBI quer nos fazer acreditar que se chocou contra o Pentágono, numa manobra quase impossível de executar mesmo para pilotos militares altamente qualificados: segundo o pessoal do tráfego aéreo que acompanhava no radar, ele fez uma volta de 270º enquanto descia vertiginosamente dois mil metros em dois minutos, para nivelar a poucos metros do chão (o suficiente pra quebrar as lâmpadas de postes do Pentágono) e descer mais ainda, mantendo a turbina a poucos centímetros do solo (sem que isso arruinasse o gramado do Pentágono) para que fosse possível bater no primeiro andar. Tudo isso a 640 Km/h , e voando manualmente numa cabine cujos avisos sonoros e visuais transformam o espaço do piloto numa verdadeira discoteca(Assim afirmam uns pilotos com longos anos de experiência )!!!! Nada mal para alguém que nunca sentou num Boeing antes... Mas, digamos que ele tenha tido sorte de principiante. Pode acontecer, não pode? Claro, se as leis da física deixassem de vigorar (como no caso do passaporte anti-chamas)! A turbulência gerada por um grande avião a quase 700km/h danificaria tudo ao redor, impossibilitaria o vôo *(já a metros do chão, imagine a centímetros!) e ensurdeceria as pessoas que ouviram o som do que bateu no Pentágono. Todas disseram que era um Whooooshhhhh! Ora, um 757 não faz Whosh. Pela posição em que elas estavam, estariam surdas e traumatizadas até hoje pelo som das turbinas. Confira este link. 
               Questão de atrito de ar, o colchão de ar ( provocado pelo arrasto aerodinâmico da aeronave) danificaria o Boeing antes dele tocar o edifício ( considerando a velocidade e a altura em que vinha). O mesmo efeito que ocorreria se os aviões das torres não tivessem feito ângulo oblíquo para entrar nelas. Se fossem direto, poderiam desviar antes de tocar no edifício.
                    No dia 11 de setembro de 2003, numa discussão na TV Bandeirantes, dois especialistas falaram sobre uma gravação feita do estacionamento do Hotel Hilton*, que fica ao lado do Pentágono (mas a boa distância, claro) e tem uma câmara de segurança olhando para o Pentágono. Essa gravação mostra um objeto voador chegando rasteiro, voando rasante a dois metros de altitude do solo e se chocando contra o Pentágono. A gravação, na verdade, não está autorizada, só foi possível mostrar fotogramas. Mas o especialista disse que conhece a gravação e é possível ver uma coisa se movendo e se chocando e explodindo. * Havia três câmeras de segurança privada perto do Pentágono: uma no Hilton, outra num posto de gasolina, e outra no departamento de transportes da Virgínia. Em questão de minutos após o acidente, o FBI apareceu nos três locais e confiscou as fitas. Eficientes, não? * Havia três câmeras de segurança privada perto do Pentágono: uma no Hilton, outra num posto de gasolina, e outra no departamento de transportes da Virgínia. Em questão de minutos após o acidente, o FBI apareceu nos três locais e confiscou as fitas. Eficientes, não?
                     
                Os EUA juram que era um Boeing. Os dois especialistas na Band contestam de pés juntos. E eles apontam mais um mistério: encontraram o bico do avião por trás das paredes do edifício. Ora, com a grossa parede protegida por camadas de aço - uns quatro metros de proteção ao todo - rigidez e grossura, era para um avião se desintegrar todo. Corpos, lataria, tudo, por causa, também, do incêndio e explosão. Não podia ficar nada. O tal bico encontrado era de uma liga duríssima com que, afirmaram com toda segurança, não se fabricam Boeings. Então um engenheiro ligou à emissora para uma ressalva: Se tivesse sido um Boeing vindo de frente, pelo menos o trem de pouso ficaria (sem falar nas asas), pois com o choque eles se arrancariam e ficariam para trás, teriam sido encontrados. Os especialistas concordaram com esse engenheiro (Um análise da física envolvida no atentado ao Pentágono conclui que não poderia ter sido um Boeing).
                 
Cinco quadros de uma câmera do pentágono foram liberados, e mostram um objeto como um avião se aproximando e explodindo, mas não tem como ser um 757 (Veja a análise). Há também uma animação em Flash em português que mostra toda a farsa do Pentágono, com relatos das testemunhas, fotos que mostram não poder ter sido um 757, etc.
                  
              Outra grande "coincidência": Há cinco baterias antiaéreas extremamente sofisticadas ao redor do Pentágono. Elas operam automaticamente, e atiram em tudo o que não tenha identificação no radar. Por que elas não destruíram o avião?? A resposta do Pentágono vai no mesmo nível da "bala mágica" e do "passaporte indestrutível": o sistema automático havia sido desativado justo naquele dia para ser realizado um exercício militar!
 
Pensilvânia; 10:10 AM
                 Avião da United Airlines cai sobre uma área rural em Shanksville, Pensilvânia, após ter sido perseguido por dois caças interceptadores. A versão oficial (NDR: passada pelos celulares de alguns passageiros... mas se os celulares não funcionavam a bordo de aviões em altitude de cruzeiro em 2001 ? ), é que alguns deles conseguiram lutar com os seqüestradores e o avião acabou perdendo altitude e caindo. Acho que só mesmo os parentes das vítimas acreditam nessa versão "heróica". Ou então as leis da física REALMENTE tiraram férias nesse dia. Pelo visto os seqüestradores se comunicavam através de um estranho sistema de bilhetes deixados dentro das malas lacradas, pois essa frase foi encontrada na bagagem de um deles: "Que cada um encontre sua lâmina para massacrar a presa". Ceeerto.... . O fato é que NADA (nada mesmo) explica que um avião caindo no chão por inteiro deixe destroços espalhados por uma área com mais de seis quilômetros, sem falar no relato das testemunhas que viram destroços caindo do céu...
 
Outras evidências
As caixas-pretas de todos os aviões foram destruídas, embora elas sejam feitas para ser praticamente indestrutíveis. Os telefonemas alegadamente feitos pelos passageiros dos vôos provaram ser impossíveis de serem realizados pelo Professor A. K. Dewdney.

   Baseado no site http://ftorp2001.50webs.com/twintowers.htm, obtive muitas informações inerentes ao acontecido
                A explicação oficial que as Twin Towers entraram em colapso devido aos estragos provocados pela colisão e ao stress causado pelo fogo, é incompatível com o básico senso comum do ponto de vista das provas que sobreviveram.
As Twin Towers não colapsaram devido à gravidade, nem foram implodidas. Em vez disso foram explodidas, reduzidas a pó e pedaços de metal. Isto é óbvio pela análise das abundantes provas fotográficas e video que sobreviveram à censura. Estas provas mostram que as torres foram consumidas numa questão de segundos numa nuvem em forma de cogumelo, espalhando 75% do seu peso para fora da sua base, de uma forma simétrica e radial..
Os impactos dos aviões serviram como uma manobra
de diversão da realidade das torres terem sido demolidas por pessoas "de dentro" dos EUA.

        O choque inicial e a espectacularidade das imagens produzidas pelos embates, fixaram o pensamento das pessoas nesses momentos e definiram-nos como os momentos principais do ataque.
Os 18 minutos que existiram entre o 1º e o 2º impacto asseguraram a cobertura total, por parte dos media, do 2º ataque.
De facto as demolições das torres é que foram os eventos principais do ataque, mataram a maior parte das vítimas e foram o causa do trauma e pânico que o ataque pretendia criar.
-Os impactos dos aviões causaram a morte a dezenas de pessoas. Sem contar com os passageiros, cada embate terá morto menos de 100 pessoas.
-Os fogos mataram centenas de pessoas. Algumas ficaram presas nos andares superiores e asfixiaram com o fumo, outras atiraram-se para evitar a asfixia.
-Os colapsos mataram milhares de pessoas. Quando a torre sul explodiu, matou mais de 1000 pessoas que estavam nos andares inferiores e superiores ao embate. A torre norte matou também mais de 1000 pessoas ao explodir. Nestes dois eventos morreram mais de 200 bombeiros.
 
Os fatos documentados sobre a Torre Norte
O Impacto (WTC1)
Às 8:46 um avião, aparentemente o vôo 11 atingiu a face nordeste do WTC1 ou Torre Norte, criando uma zona de impacto que se extendeu do 92º ao 98º andar. O embate abanou a torre, causando uma deflexão horizontal de cerca de 10 pés nos andares superiores. Rapidamente surgiram fogos e fumo na zona do impacto. A única filmagem conhecida que existe deste embate não nos mostra uma subsequente bola de fogo causada pelo combustível, pelo que este poderá ter sido queimado dentro do edifício. Ao contrário do impacto na Torre Sul, a única peça do avião encontrada fora da Torre Norte foi uma pequena parte do trem de aterragem e o suposto passaporte de um dos terroristas!
Fogos (WTC1)
Durante alguns minutos após o impacto, podémos ver fogo e fumo branco em vários andares, incluindo a maior parte do perímetro de um dos andares. Na altura em que a Torre Sul foi atingida, via-se menos fogo na zona norte do edifício e o fumo tinha-se tornado negro, o que pode ser explicado pela falta de oxigénio para alimentar as chamas.
Evacuação e Resgate (WTC1)
A evacuação da Torre Norte foi eficiente. Os 102 minutos entre o impacto e o colapso deixaram a maior parte dos ocupantes a baixo da zona de impacto escaparem em segurança.
Ninguém acima do andar 91 sobreviveu. O New York Times estimou que cerca de 1344 pessoas morreram nestes andares. Não é certo quantos sobreviveram até ao colapso, mas muitos dos andares superiores estavam cheios de fumos tóxicos há bastante tempo. Pelo menos 37 pessoas ou talvez o dobro saltaram das janelas para escapar à morte agonizante por inalação de fumo.
O resgate por helicóptero podia ter sido possível já que não havia muito fumo no topo do edifício, no entanto não foi autorizado. Nos ataques bombistas às torres em 1993 foram salvas desta forma 28 pessoas que fugiram para o telhado.
Às 10:07 um helicóptero da polícia avisou os bombeiros que a Torre Sul tinha colapsado de forma a este abandonarem o edifício. Infelizmente muitos dos rádios dos bombeiros não funcionavam bem lá dentro e era difícil ouvirem-se com clareza. 121 bombeiros morreram quando a Torre Norte ruiu.
Destruição (WTC1)
A Torre Norte começou a precipitar-se às 10:28. O colapso começou instantaneamente após terem sido ouvidas algumas explosões
 
Os fatos documentados sobre a Torre Sul
O WTC2 ou Torre Sul foi a segunda das Twin Towers a ser atingida por um avião e a primeira a ser destruída.
 
 O Impacto (WTC2)
Às 9:03 um avião, aparentemente o vôo 175, embateu contra a face sudoeste da torre, criando uma zona de impacto que se estendeu do 78º ao 84º andares. No momento do impacto enormes bolas de fogo emergiram nas faces sudoeste, sudeste e nordeste. O avião atingiu a zona direita num ângulo oblíquo e muita da fuselagem saiu pelo canto Este. A maior parte dos 10000 galões de combustível que o avião carregava saiu da torre em enormes e espectaculares bolas de fogo. Este evento foi capturado por inúmeros jornalistas, em vídeo, pois ocorreu 17 minutos depois do embate do 1º avião.
Fogos (WTC2)
Imediatamente após o impacto, eram visíveis chamas à volta da zona de impacto. Ao contrário da Torre Norte, em que alguns fogos eram visíveis acima da zona de impacto, os fogos da Torre Sul nunca se espalharam para o lado oposto do edifício. Quando o edifício ruiu, os fogos pareciam estar sufocados, sem oxigénio, já que não eram visíveis chamas, apenas fumo preto. Numa dada altura a maior parte do fumo vinha da Torre Norte. Os bombeiros de Nova York chegaram aos andares do impacto antes do edifício ruir e descreveram que haviam apenas "duas zonas com fogo", perfeitamente controláveis.
Evacuação e Resgate (WTC2)
A evacuação da Torre Sul começou às 8:46 após a colisão do jacto com a Torre Norte. Como os elevadores funcionaram plenamente entre as 8:46 e as 9:03, a evacuação procedeu de forma mais eficiente que na Torre Norte. No entanto houve confusão, como a causada pelo anúncio feito através dos intercomunicadores que a torre estava segura e que as pessoas podiam regressar aos seus gabinetes. Este conselho poderá ter custado centenas de vidas.
Quanto o avião atingiu a Torre Sul, cortou várias saídas de emergência dos 30 andares de cima. Deixou pelo menos uma escadaria livre, já que o New York Times encontrou pelo menos 18 pessoas que escaparam por aí. A maior parte das pessoas desconhecia essa escada livre de fogo, pelo que pelo menos 200 pessoas subiram ao telhado esperando ser salvas a partir daí. No entanto quando lá chegaram encontraram as portas trancadas! O salvamento pelo telhado, que foi usado no atentado 1993, não era uma opção nesse dia.

Destruição (WTC2)
A Torre Sul começou o colapso às 9:59. A primeira porção da torre, acima da zona de impacto, começou a inclinar-se para sudeste, enquanto que começaram as primeiras explosões de detritos na zona da colisão. Depois, aos 2.5 segundos, o topo começou a cair e a sua rotação a desacelerar. Aos 6.5 segundos, o topo foi completamente "engolido" por uma enorme nuvem de detritos.
Num aparentemente comentário espontâneo, Peter Jennings disse que aquele evento parecia uma demolição controlada e apontou que era necessário ter acesso às infraestruturas para conseguir mandar abaixo um edifício daqueles.
As sequências de destruição do WTC1 e WTC2 são muito parecidas a partir do momento em que os topos desapareceram.
               

Um olhar racional para os colapsos das Twin Towers revela que a história oficial contradiz as leis da física e o mais básico conhecimento do comportamento de estruturas em aço.
  • As torres foram desenhadas para sobreviver a impactos de aviões do tipo dos do 11 de Setembro.
  • Os fogos não eram muito fortes na torre sul e estavam a diminuir. Mesmo fogos muito severos não teriam iniciado um colapso total.
  • As torres desintegraram-se explosivamente e caem sobre si mesmo, não da forma de que um arranha céus poderia cair.
  • Há provas relativamente simples de que estes edifícios não caíram devido ao seu próprio peso
  • A queda foi a uma velocidade aproximada à da queda livre, o que sugere a destruição sucessiva dos pilares de suporte dos andares imediatamente a baixo, antes do topo os atingir (o que atrasaria a queda, ou faria o topo cair para o lado) 
Em dezembro de 2001, o presidente George W. Bush foi pego na mentira, quando revelou qual foi seu primeiro pensamento quando soube do ataque: "Eu vi um avião atingir a torre - a TV estava obviamente ligada - e eu, acostumado a voar, falei 'Que piloto terrível. Deve ter sido um horrível acidente'."
Ora, não havia NENHUM registro do primeiro avião atingindo a torre, porque o ÚNICO registro até o momento (o dos documentaristas) foi filmado em rolo (para cinema) e só foi revelado à tarde*. Por que então a mentira de Bush? Por que não contar a "verdade oficial", de que ele foi informado do primeiro ataque no corredor da escola primária (onde ele havia sido convidado) e que mesmo assim continuou com a programação, mesmo quando soube do outro avião?? (esta cena está no excelente documentário Farenheit 11, de Michael Moore) Será que a versão oficial já foi uma encenação e ele a esqueceu? Mas detalhes  acesse http://pt.wikipedia.org/wiki/Fahrenheit_911. Assista o filme ou leia o livro.

Nos vídeos é possível ver os detritos serem expelidos horizontalmente (só possível com explosivos
              
Conclusão
  • As torres foram destruídas por explosões controladas.
  • Os explosivos terão que ter sido plantados antes dos atentados, o que indicia pré-conhecimento dos ataques
  • Os embates dos aviões serviram para arranjar um motivo e um culpado para a queda das torres
  • As provas do crime (os destroços no Ground Zero) foram rapidamente destruídas


                 Pesquisando muito a fundo de maneira acurada em vídeos, páginas da internet e constatei que realmente existe mesmo essa farsa, afinal tem tudo a ver com os tais ILUMINATIS. Será atoa essa data de 11.09.01? Em inglês 9.11.01. Bem, claro que tem um significado muito grande, esse tais ILUMINATIS, ja haviam premeditado.
                  O número 11 é de grande valia para este grupo. A data de 9/11 Já estava tudo no escript para acontecer. Observe nos cartoons (desenho animados) propaganda e filmes. Ex: Exterminador do futuro http://www.youtube.com/watch?v=Nstu9zM1yak  observe bem CAUTION 9-11,

                  Os illuminati escreveram a História muito antes dela acontecer, uma das evidências é um jogo rpg (role playing game, jogo de interpretar ) criado por Steve Jackson e lançado em 1995. Esse jogo “INWO” (Illuminati new world order) illuminati a nova ordem mundial, inclui 9 cartas (9 cartas, conscidência?) que descrevem fatos que aconteceriam na História, eventos envolvendo bio terrorismo, desastres, anarquia, etc.
                 Não significando que ele fosse illuminati, mas conhecia os planos deles, tanto que foi visitado pelos serviços secretos, os quais tentaram impedir o lançamento desse jogo.
(mais dados em
http://www.sjgames.com/inwo/ ). A teoria do 11 será conicidência? Observe este vídeo http://www.youtube.com/watch?v=0FA3I8B40nA. Reflita bem sobre isso! Outras Informações pode corroborá com este Blog. Pode deixar seu comentário aqui ou até mesmo no meu facebook emf.acsm@gmail.com